Dirigente se entrega e diz à polícia que se sentiu ameaçado pelo jogador

O gerente de futebol Anderson Salgueiro, que esfaqueou o jogador paraibano João Guilherme Clemente da Silva, de 21 anos, conhecido como Cabelinho, se entregou à polícia no final da manhã desta quinta-feira (14), na Delegacia de Pilar, cidade em que aconteceu o crime. Salgueiro era considerado foragido e tinha dois mandados de prisão em aberto.

 

Atleta do FF Sport, Cabelinho foi esfaqueado no dia 30 de junho, precisou ser hospitalizado e submetido a uma cirurgia, mas sobreviveu. O jogador recebeu alta do hospital no último dia 6 e voltou para a casa da família, na Paraíba.

 

“Ele confessa ter praticado a tentativa de homicídio e alega que praticou em virtude de o Cabelinho ter jogado um copo de café no rosto dele e ter informado que ele teria que pagar. Ele entendeu que isso seria uma ameaça, foi até a cozinha, pegou uma faca e efetuou golpes contra o Cabelinho”, disse ao g1 o delegado Ronilson Medeiros, responsável pelas investigações.

 

O dirigente ainda será ouvido formalmente no inquérito. O delegado disse ainda que, além do mandado de prisão pela tentativa de homicídio, existe um outro mandado em aberto contra ele de um roubo praticado em Pernambuco.

 

Após o depoimento, Salgueiro foi encaminhado para a Central de Flagrantes e depois para o sistema prisional.

 

Testemunhas dão mesma versão para o crime

 

De acordo com os relatos das testemunhas à polícia, a briga começou porque o jogador teria desobedecido a ordem do dirigente para que os atletas não deixassem a pousada na noite anterior ao crime, já que deveriam estar concentrados para terinar na manhã seguinte.

 

“A ordem foi ignorada pelo João Guilherme [Cabelinho], que foi para um show. De manhã, Anderson mandou João Guilherme [Cabelinho] descer do ônibus que iria para o treinamento. Após essa ordem, o atleta ficou com ironia e o dirigente perdeu a cabeça e partiu para agressão”, explicou o chefe de operações do 23º Distrito Policial de Pilar, Wilson Vasconcelos.

 

Cabelinho disputou cinco jogos pelo FF Sport, clube de futebol de Pilar, na região metropolitana de Maceió. Ele é natural do estado da Paraíba.

 

Após o crime, a polícia realizou diligências para localizar e prender o gerente de futebol Anderson Salgueiro, mas ele fugiu e era considerado foragido até esta quinta-feira.

 

 

 

 

por Heliana Gonçalves, g1 AL

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo