Renan Filho deixa o Governo com R$ 4 bi em caixa para novos investimentos em Alagoas

A Praça dos Martírios, no Centro de Maceió, bem que poderia se chamar, a partir deste sábado (02), de Praça da Gratidão. Foi lá que milhares de alagoanos se reuniram para se despedir e agradecer ao governador Renan Filho, que deixou o cargo. Por força da Legislação Eleitoral, ele se desincompatibiliza para concorrer ao Senado, no pleito deste ano.

 

“Foi o melhor governo que Alagoas já teve”, afirmou o presidente do Sindicato dos Transportadores Complementares de Passageiros de Alagoas (Sintrancomp/AL), Maércio Ferreira de Amorim. Ele e representantes sindicais de 50 municípios alagoanos compareceram à solenidade para se despedir e para parabenizar o governador pela gestão exitosa.

 

“Esse foi um governo que se preocupou com as nossas estradas e, junto com elas, vem a segurança para o transportador, para o passageiro. Renan Filho teve compromisso com a saúde, com a educação, com a segurança, então é um governo que marca a história de Alagoas”, concluiu.

 

O presidente da Associação dos Moradores da Grota Eldorado, Léo Oliveira, levou uma faixa para agradecer ao governador pela execução do programa Vida Nova nas Grotas, que beneficiou a comunidade onde ele mora e dezenas de outras mais.

 

“Foi um trabalho que trouxe mais dignidade aos moradores dessas comunidades. Onde a gente via barro e lama, hoje se vê escadaria, muro de contenção, calçada. Então eu vim aqui prestigiar e parabenizar o governador pelo brilhante trabalho que fez, não só nas grotas, mas na saúde, na educação e na segurança pública”, declarou.

 

Em seu discurso, feito da sacada do Museu Palácio Floriano Peixoto (MUPA), o chefe do Executivo fez um balaço de sua gestão. Recordou que o trabalho teve início em 2015, no primeiro mandato, quando recebeu um estado depauperado, mas concluído com êxito, numa longa caminhada de 2.647 dias. Renan Filho entrega uma Alagoas pujante, equilibrada financeiramente e preparada para o futuro com R$ 4 bilhões em caixa que garantirão o andamento e conclusão de programas e obras importantes, bem como novos investimentos.

 

“Na minha cabeça passa um filme. Há alguns anos atrás, eu percorria Alagoas pedindo as pessoas que me dessem uma chance de governar esse Estado, porque, se o alagoano a mim confiasse essa tarefa, eu a transformaria na missão de minha vida. E essa missão era mudar o Estado para melhor, garantir melhor qualidade de vida para as pessoas; transformar Alagoas num estado mais próspero, que trouxesse mais oportunidades e investisse nas áreas fundamentais e que valorizasse o servidor público, que está presente hoje nessa praça porque sabe que o Governo fez isso ao longo de todo esse tempo”, declarou Renan Filho.

 

Ele apresentou os principais avanços em áreas estratégicas da gestão pública: segurança, saúde, educação e desenvolvimento econômico e social. E conquistá-los não foi tarefa fácil.

 

O primeiro grande desafio arrostado por Renan Filho foi o combate à violência, que amedrontava a população e espantava os turistas. Nessa guerra, três programas (Ronda no Bairro, Força Tarefa e Patrulha Maria da Penha) e uma ação estruturante – a construção dos Centros Integrados de Segurança Pública (CISPS) – foram fundamentais para transformar Alagoas no Estado da Federação que mais reduziu violência na década, de acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

 

“Assumi meu primeiro compromisso que foi parar de transferir a responsabilidade para os outros. A responsabilidade da Segurança Pública de um povo é do governador do Estado”, enfatizou.

 

A partir de 2015, o investimento em Segurança Pública foi robusto e planejado. O efetivo das forças policiais foi reforçado com a realização de concursos públicos. Investiu-se em tecnologia, inteligência, qualificação, armamento moderno e sistemas eficientes de comunicação para o combate ao crime. As estatísticas, ano após ano, foram mudando, mostrando que Alagoas estava sendo pacificada.

 

Outra batalha foi travada no enfrentamento à pandemia da Covid-19. Com decisões balizadas na ciência e sempre primando pela vida, Alagoas teve o segundo menor número de mortes entre todos os Estados brasileiros, proporcionalmente ao número de habitantes.

 

“Foi o momento mais difícil da minha vida”, confidenciou Renan Filho. Alagoas montou hospitais de campanha e, ao mesmo tempo, acelerou a construção e pôs em operação seis grandes hospitais permanentes.

 

“O sexto foi entregue ontem: o Hospital da Criança, no bairro do Jacintinho”. Renan Filho recordou, também, a instalação de 10 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), sete delas em Maceió, no maior conjunto de investimentos em saúde pública da história de Alagoas.

 

“Estou deixando, ainda, quatro grandes hospitais em construção: Metropolitano do Agreste, em Arapiraca; o Regional do Médio Sertão, em Palmeira dos Índios; o Hospital do Coração, em Maceió; e o Hospital do Idoso”, elencou.

 

Desenvolvimento

 

Economista por formação, Renan Filho destacou os avanços de sua gestão na área do desenvolvimento econômico e social. Falou do ajuste fiscal, que lançou as bases para o equilíbrio financeiro e possibilitou investimentos robustos nunca vistos em Alagoas.

 

O govenador ressaltou o papel preponderante do senador Renan Calheiros na renegociação da dívida de Alagoas com o governo federal e na repatriação de recursos do exterior, quando ocupava a cadeira de presidente do Congresso Nacional.

 

“Alagoas se transformou, ao longo dos últimos anos, no Estado que mais investe os seus próprios recursos no Brasil. É por isso que a mudança chega a Alagoas, porque transformamos esse Estado, antes com muitas dificuldades financeiras, num Estado que tem capacidade de fazer investimentos nas áreas que as pessoas mais precisam”.

 

Dentre os investimentos, o governador frisou aqueles feitos em infraestrutura urbana e viária, como a construção de novas rodovias, as duplicações e a manutenção da malha, o que fez de Alagoas o Estado com as melhores estradas do País, segundo o ranking da Confederação Nacional dos Transportes (CNT).

 

“Com infraestrutura ampliada, Alagoas eleva investimento público, ganha competividade e atrai investimentos privados”, observou, informando que está deixando, no Tesouro Estadual, R$ 4 bilhões em recursos para novos investimentos e para conclusão de obras como o Aeroporto de Maragogi, os CISPS, as creches do Programa Criança Alagoana (CRIA), dentre outras.

 

“Isso vai promover a continuidade do progresso, vai garantir Alagoas no caminho certo”. Renan Filho recordou que, mesmo em meio à maior crise econômica nacional, Alagoas foi o primeiro Estado do Brasil a recuperar, ainda em 2018, o PIB de 2014. “E somos um dos poucos que continuam crescendo. Isso significa desenvolvimento em momento difícil”, acrescentou.

 

Transferência de renda

 

O Governo de Alagoas não se descuidou dos mais pobres. Criou o Cartão CRIA, maior programa de transferência de renda entre todos os estados do Brasil. “Criamos o Cartão Escola 10, que garante recursos para os jovens das escolas públicas. Somados, esses dois programas vão distribuir em 2022, diretamente na mão povo, cerca de R$ 350 milhões”.

 

Renan Filho concluiu afirmando que encerra as duas gestões com os sentimentos de gratidão, de dever cumprido e de humildade. “O que eu não consegui fazer foi por minhas incapacidades pessoais, porque nunca me faltou vontade, nunca me faltou dedicação. Vou me aprimorar mais, estudar mais, me dedicar mais, porque quero dizer ao meu povo que, aonde eu estiver, estarei sempre (trabalhando) pelo alagoano e pelo estado de Alagoas”.

 

 

por Severino Carvalho – Ascom AL

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo