Governo de Alagoas lança dia 23 programa para construção de 56 escolas estaduais

O maior programa de construção de escolas públicas da história de Alagoas será lançado no próximo domingo (23). Trata-se do “Escola do Coração”, que foi idealizado pelo Governo de Alagoas e prevê a construção de 56 novas unidades – incluindo escolas indígenas – em diversas regiões do estado.

 

O lançamento oficial vai acontecer em solenidade que contará com a presença do governador Paulo Dantas, a partir das 11h, na Escola Municipal Marinete Neves, na cidade de Palmeira dos Índios, Agreste alagoano, onde também será assinada a Ordem de Serviço para a construção de mais uma unidade da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal).

 

Com um investimento de quase R$ 500 milhões, o programa, inclusive, também contempla ginásios poliesportivos. A expectativa é de que mais de 57 mil estudantes sejam diretamente beneficiados.

 

“Este programa, que visa à universalização do ensino integral em Alagoas, é um verdadeiro marco para o nosso estado. Nos últimos 24 anos, a população alagoana viu 46 escolas serem construídas. Agora, com o Escola do Coração, o governador Paulo Dantas vai entregar, até 2026, 56 novas unidades. Isso só reforça o compromisso do Governo de Alagoas, que não só vem aprimorando a infraestrutura escolar, como, também, valorizando o servidor e garantindo oportunidades para todos, por meio de uma educação pública de qualidade”, avalia a secretária de Estado da Educação, Roseane Vasconcelos.

 

Estrutura

 

Serão três formatos de escola. Cada uma delas terá 12, 6 ou 4 salas de aula.

 

Ao todo, serão 43 unidades do tipo 12 salas – perfazendo um investimento de R$ 440 milhões –, cada uma com capacidade para acolher até 1,2 mil estudantes, com espaço para auditório, biblioteca, salas de informática e do grêmio, bicicletário, pátio coberto, cozinha completa, estacionamento, entre outros, concebidos com vistas ao fortalecimento do processo de ensino e aprendizagem na rede estadual.

 

O programa vai contemplar, ainda, cinco escolas do tipo 6 salas, com cada unidade preparada para receber até 600 estudantes. Já as oito escolas do tipo 4 salas terão capacidade para acolher até 400 alunos.

 

Distribuição

 

A escolha das cidades nas quais as escolas serão construídas seguiu critérios técnicos, como a demanda por vagas em cada região. Maceió, por exemplo, será presenteada com nove unidades – que irão beneficiar cerca de dez mil estudantes –, sendo três no complexo residencial Benedito Bentes.

 

Localizadas nos municípios de Junqueiro, Senador Rui Palmeira e Delmiro Gouveia, três delas, inclusive, já estão funcionando. As outras 53 que integram o programa estão sendo erguidas nas seguintes localidades:

 

Região Metropolitana de Maceió: Maceió (9 unidades), Satuba (1), Pilar (1), Atalaia (1), Rio Largo (1)

Agreste: Palmeiras dos Índios (6), São Sebastião (3), Feira Grande (2), Traipu (2), Coité do Nóia (1), Taquarana (1), Campo Grande (1), Arapiraca (1), Craíbas (1), Estrela de Alagoas (1), Cacimbinhas (1) e Limoeiro de Anadia (1);

 

Sertão: Pariconha (2 unidades), Olho d’Água do Casado (1), Inhapi (1), Água Branca (1), Carneiros (1), Maravilha (1), São José da Tapera (1);

 

Zona da Mata: União dos Palmares (1), Ibateguara (1),Branquinha (1),Flexeiras (1);

 

Região Norte: Colônia Leopoldina (1), Japaratinga (1), São Miguel dos Milagres (1), Maragogi (1);

 

Região Sul: Jequiá da Praia (1), Roteiro (1); e

 

Baixo São Francisco: Porto Real do Colégio (1)

 

 

 

 

por Henrique Pereira / Ascom Seduc

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo